Loading...
Loading...

Total de visualizações de página

sexta-feira, 28 de março de 2014

Projeto "Preservando o passado, construindo o futuro:MTG em defesa do Patrimônio histórico e cultural do RS"

Projeto "Preservando o passado, construindo o futuro:MTG em defesa 
do Patrimônio histórico e cultural do RS"

Tramandaí, quem conhece ama.

Na tarde do dia 28 de março recebemos em nossa escola este maravilhoso projeto!


Promovido por: Brenda Magni-1ª Prenda Mirim do CTG Potreiro Grande
                         Ingrid Silveira Streit- 1ª Prenda Mirim-mirim do CTG Potreiro Grande
                         Kauly Silveira Streit- Piá da 23ª Região Tradicionalista

O Projeto justifica-se visando a preocupação com a preservação da riquíssima cultura litorânea e seu resgate através de lendas, músicas e lembranças de antigos moradores.


Desenvolvimento: 
Apresentação do tema: Tramandaí, quem conhece ama, contando a história de Tramandaí;
Aspectos da cultura litorânea de origem açoriana como : culinária, costumes, religiosidade, vestimentas...
Representação das lendas Locais, como: a lenda da abertura da barra; a lenda do siri, do linguado e da savelha  e lenda do minhocão...
Brincadeiras de origem açoriana;
Atividade de encerramento com bilhetinhos de Pão por Deus e seus significados.


Agradecimentos:
Esta escola, em nome dos alunos, professores e direção, agradecem aos coordenadores do projeto pela excelente iniciativa em prol do fortalecimento da cidadania. Conhecer nossa cultura, reconhecer a importância de nossa história, nossos costumes, gera "PERTENCIMENTO"


















quinta-feira, 27 de março de 2014

Festa Junina Dia 7 de Junho

Arraiá da Jorge Enéas dia 7 de Junho, não perca!
Local: Escola Jorge Enéas Sperb
Hora: a partir de 16h



Reunião Administrativa e Pedagógica com a presença do CAPE

No dia 25 de Março realizou-se na Escola a reunião com os profissionais do CAPE. Na oportunidade estiveram presentes, além dos professores, a professora da Sala de Apoio pedagógico, a supervisão, direção da escola e os profissionais do CAPE: Centro de Atendimento Preventivo ao Educando: a diretora do Cape Marisa, a Psicóloga Dalva, Educadora Especial Eleda e a terapeuta familiar e coordenadora da educação especial Cristiane Muller.
Na reunião foram apresentados os profissionais que estarão presentes na escola e os serviços que serão oferecidos aos educandos, além de todo o processo de encaminhamento que deverá ser feito pela escola.
A direção da escola agradeceu ao CAPE pela dedicação de seus profissionais e pela disposição de estarem aqui esclarecendo ao grupo de professores a importância deste atendimento especializado.















Início da Oficina voltada à história e cultura da nossa comunidade

A oficina "Conhecendo nossas origens"  será direcionada ao estudo da história do nosso município, a importância dos Pescadores e seu contexto social desde o início, até os dias de hoje. Esta oficina atenderá alunos de 5º e 6º anos em contra turno nas 4ª feiras e será organizada pela oficineira Nara Vargas, aluna do curso de Especialização em Educação Ambiental-FURG
 Durante as oficinas os alunos terão a oportunidade de conhecer melhor a nossa cultura, nossa história e as riquezas que fazem parte do nosso Patrimônio Cultural.
 Os alunos farão excursões, visitas e muita pesquisa. Estes alunos terão inúmeras oportunidades de conhecer melhor nosso município e nossa história. Serão multiplicadores!
Em breve publicaremos as datas dos encontros!

Início da Oficina de Educação Ambiental

A Escola Jorge Enéas Sperb prioriza em suas atividades as ações voltadas a conservação do Meio Ambiente e a Melhoria na qualidade de vida de sua comunidade. Para tanto iniciaremos no dia 1 de abril a OFICINA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL. A oficina acontecerá em contra turno nas 3ª feiras e terá como monitor; Diego Pereira de Guimarães, que é graduando em  Licenciatura em Ciências -FURG

Durante todo o ano serão desenvolvidas atividades de pesquisa, saídas de campo e intervenções na composteira, horta e jardim da escola, além de inúmeras técnicas de plantio e cultivo de hortaliças, chás e flores. 

Os "Saberes da Comunidade" serão utilizados durante os encontros com a presença de pessoas da comunidade que auxiliarão nas atividades, enriquecendo assim nossa prática.
Semanalmente teremos aqui os relatos dos participantes.


EMEF Jorge Enéas Sperb
Projeto “Educação Ambiental"
ATIVIDADE DE ABERTURA: Visitar a Zona Rural do Município e o Horto Florestal para conhecer técnicas de plantio e colheita, visualizar mudas de diferentes hortaliças, identificando o solo propício para o bom desenvolvimento dos vegetais.
PÚBLICO ALVO: Alunos do 5º, turma 51  e 6ºs anos, turmas 61 e 62 do Ensino Fundamental
PERÍODO DE DURAÇÃO: O projeto se caracteriza por ser uma atividade continuada, portanto, não tem hora ou tempo de duração que possa ser pré- estabelecido. Afinal, uma vez montada a horta é possível imaginar, que a cada ano, novas turmas darão continuidade ao projeto.
JUSTIFICATIVA:
Baseado na premissa de valorizar o trabalho prático e o papel do outro no processo de aprendizagem, o projeto Horta Escolar foi inserido na EMEF Jorge Enéas Sperb, objetivando melhor inserção do ensino dos vegetais na disciplina de Ciências. A horta foi preparada desde o início pelos próprios alunos que participaram ativamente do processo, sob a orientação do Monitor Diego Pereira de Guimarães com a colaboração da professora da turma 51, Carmem Luminária e a Professora de Ciências dos 6ºs anos Luciana Rosa.
O ensino das ciências naturais no ensino fundamental é restrito, muitas vezes, a aulas teóricas e expositivas, mas a importância de atividades práticas é inquestionável na Ciência e precisa ocupar lugar de destaque no seu ensino (3 SMITH, K. A. Experimentação nas Aulas de Ciências. In: CARVALHO, A. M. P.; VANNUCCHI, A. I. ;BARROS, M. A.; GONÇALVES, M. E. R.; REY, R. C. Ciências no Ensino Fundamental: O conhecimento físico. São Paulo: Scipione. 1998).
De acordo com os Parâmetros Curriculares Nacionais , a participação ativa dos estudantes nos processos de aprendizagem com atividades práticas representa importante elemento para a compreensão ativa e conceitual.
A escola aparece como espaço privilegiado para o desenvolvimento de ações de melhoria das condições de saúde e do estado nutricional das crianças (RAMOS;STAIN, 2000), sendo um local estratégico para a concretização de iniciativas de promoção da saúde, como o conceito da “Escola Promotora da Saúde”, que incentiva o desenvolvimento humano saudável e as relações construtivas e harmônicas.
OBJETIVO Geral: O projeto, diante do exposto, tem como objetivo geral desenvolver a prática do cultivo de hortaliças na EMEF Jorge Enéas, de maneira que a horta escolar sirva de laboratório para o professor integrar os alunos ao ambiente em que ele vive priorizando o consumo de alimentos saudáveis e naturais e estimulando uma alimentação saudável.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
• Conscientizar alunos e pais acerca da importância de se ter uma alimentação rica e equilibrada;
• Construir a noção de que o equilíbrio do ambiente é fundamental para a sustentação da vida em nosso planeta;
• Valorizar o trabalho em equipe, ou seja, o papel do outro no processo de aprendizagem;
• Produzir adubos orgânicos;
• Desenvolver de forma lúdica e interdisciplinar conteúdos das diversas áreas do conhecimento;
• Conscientizar da importância de estar saboreando um alimento saudável e nutritivo;
• Criar, na escola, uma área verde produtiva pela qual, todos se sintam responsáveis;
• Construir a noção de que o equilíbrio do ambiente é fundamental para a sustentação da vida em nosso planeta.

METODOLOGIA:
• Produção de adubo orgânico e construção de um minhocário:
O coordenador do projeto e a professora utilizaram restos alimentares de origem vegetal disponibilizado pela cozinha da Escola para a produção de adubo orgânico. O coordenador do Projeto trará minhocas para serem acrescentadas na composteira. Os alunos executaram a construção do minhocário e também a produção do adubo. Tais elementos: adubo e minhocas são fundamentais para uma boa plantação e serão muito utilizados pelos alunos durante a preparação da terra.
Será doado adubo orgânico de codorna por um membro da comunidade escolar para enriquecer o solo da horta.
• Visitação à horta:
Reconhecimento do espaço em que será feito o plantio. Nesta etapa, os professores conversarão com os alunos, abordando questões como que é uma horta, para que serve e o que se pode plantar nela. Os professores explorarão o espaço da horta, mostrando suas partes e os instrumentos que foram utilizados para a semeadura. Cada grupo conhecerá o seu canteiro e aprenderá como manusear, com segurança, o ancinho, a pá e o regador.
• Preparação da terra:
            Depois de uma aula teórica sobre plantio, os alunos começarão a preparar a terra afofando-a, desmanchando os torrões que se formam, tirando as ervas daninhas e molhando-a. Adubaram-na com o adubo orgânico produzido com restos alimentares.
• Apresentação das hortaliças aos alunos:
Aula instrutiva em que o coordenador do projeto e  professora explicaram às crianças as características e o valor nutricional das hortaliças que foram plantadas na horta e a função das vitaminas que estão contidas nelas.
• Plantio das hortaliças:
Durante esta etapa os alunos plantarão as sementes a cada grupo nos seus respectivos canteiros. Aprenderam a fazer as covas para colocação da semente. Depois de plantadas a semente, os canteiros serão regados em intervalos regulares, conforme a necessidade.
• Acompanhamento da plantação:
Os alunos passarão a registrar em um caderno específico o desenvolvimento das plantas, desde o primeiro broto até a colheita final. Contarão a quantidade de plantas viáveis, a quantidade que morreu e a cada aula um grupo falará sobre o seu canteiro, sobre a importância para a saúde do consumo daquela hortaliça ou daquele legume.
• Colheita:
As hortaliças serão colhidas assim que estiverem prontas para serem consumidas, tirando insetos e outros integrantes da fauna associada à horta. Estas hortaliças serão utilizadas na merenda escolar. Os alunos participaram de todo o processo. Convidaremos uma nutricionista para dar uma palestra sobre a alimentação saudável.
RECURSOS MATERIAIS:
• Ferramentas
• Adubos
• Sementes e mudas
• Tijolos, tábuas, garrafas peti - cercar os canteiros.
• Mangueira - regar
CONSIDERAÇÕES FINAIS
            A educação ambiental é um processo de conquista longa e árdua, pois são valores construídos ao longo da vida, orientados por pessoas que persistem e acreditam que é possível contribuir para mudanças significativas relacionadas à preservação ambiental e ao respeito à natureza. Com isso, é necessário que reflitamos sobre qual é nosso papel na natureza. O que somos para ela? O que devo fazer para amenizar os efeitos desastrosos provocados ao meio ambiente? O  que devo fazer em sala de aula para preservar o ambiente em que permaneço durante quatro horas do dia? E, em minha casa e na comunidade o que devo fazer?
 Esses questionamentos nos levarão a uma reflexão da postura que temos diante do meio ambiente em que vivemos. Consequentemente, os resultados surgirão a partir do momento em que passamos a nos sentir seres integrantes desse meio. Sem esse senso de pertencimento não nos conseguiremos sentir responsáveis pela preservação ambiental.






Introdução sobre Astronomia







terça-feira, 25 de março de 2014

Projeto de Páscoa


PROJETO “PÁSCOA NA ESCOLA”

1. TITULO DO PROJETO/PERÍODO
Páscoa na Escola – Do dia 01/04 a 17/04/2014

2. ESCOLA DE APLICAÇÃO DO PROJETO
EMEF Jorge Enéas Sperb

3. ÁREAS DO CONHECIMENTO ENVOLVIDAS
Língua Portuguesa
Matemática
História e Geografia
Ciências
Ensino Religioso
Arte
Educação Física
Informática
Língua Inglesa
Música e dança

4. OBJETIVOS
Entender o significado da Páscoa.
Conhecer a origem da Páscoa.
Destacar os símbolos e o significado de cada um.
Conscientização do sentido espiritual e comercial em torno da data.
Propor atividades que demonstrem boas ações.
Promover e estimular a linguagem oral e escrita;
Enriquecer e ampliar o vocabulário;
Estimular a imaginação e a criatividade;
Desenvolver a leitura através da visualização de figuras;
Relacionar os números com a quantidade;
Desenvolver e estimular a expressão corporal;

5. JUSTIFICATIVA
Este projeto tem por finalidade levar os alunos a valorizar as diversas manifestações culturais existentes, e que deve ser resgatada através de atividades lúdicas e dinâmicas a fim de despertar o interesse dos educandos.
Quando o aluno entra em contato com os conteúdos de forma prazerosa, pode desenvolver-se melhor no processo de ensino-aprendizagem, ou seja, deixa de ser um aluno passivo para se tornar um aluno participativo, crítico-reflexivo levantando hipóteses em relação ao objeto de estudo. 
Sedo assim a escola tem um papel fundamental de levar o educando ao conhecimento das principais manifestações culturais existentes em seu meio, se relacionado de forma respeitosa com as mesmas. Desta forma, cabe a instituição escolar abordar a referida temática, fornecendo informações relevantes a seus educandos de forma que os mesmos possam ampliarem seus conhecimentos.

6. AÇÕES
Levantamento do conhecimento da criança sobre o tema.
Ouvir histórias e textos relacionados ao tema.
Realizar atividades em grupos e individuais através de recortes, colagem e dobraduras sobre a Páscoa.
Confecção de cartazes com desenhos, mensagens, produção  de textos e expressões artísticas sobre a “Páscoa”.
Dramatização, memorização de quadrinhas, coro falado, músicas e brincadeiras referentes ao tema.
Perceber que é muito bom realizar boas ações, e que isto nos faz sermos pessoas melhores.
Desvencilhar o termo Páscoa do sentido comercial.
Realizar problemas matemáticos envolvendo o tema.
Utilizar receitas de páscoa para aulas de culinária.

7. POPULAÇÃO ALVO
Comunidade escolar da EMEF Jorge Enéas Sperb.

8. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO
Sugestões de atividades:
Produção de textos coletivos;
Conversas informais;
Leitura de quadrinhas, histórias e poesias sobre o tema;
Atividades com modelagem, desenho, recorte, colagem, dobraduras e pintura;
Roda cantada; músicas e dança referentes ao tema;
Jogos, brincadeiras, e dramatizações;
Interpretar e resolver situações-problema envolvendo o tema;
Estatísticas (quantos países comemoram a Páscoa, quantos não comemoram);
País onde a comemoração da Páscoa foi iniciada e as comemorações da Páscoa pelo mundo;
A história do chocolate;
Confecção de cestas de Páscoa.

9. RECURSOS UTILIZADOS
Fotos, DVD, revistas, livros didáticos, cartolinas, EVA, tesoura, cola quente, cola branca, pincéis, CDs, aparelho de som, televisão.

10. CULMINÂNCIA
Os alunos finalizarão o projeto no dia 17/04, todos no turno da manhã, fazendo uma demonstração das principais atividades desenvolvidas durante o projeto, levando para casa os materiais confeccionados em aula bem como a cesta de páscoa com os doces.

11. AVALIAÇÃO
A avaliação será feita através de registros dos alunos por parte da professora, frente às atividades tanto individual quanto coletiva no decorrer do desenvolvimento do projeto.
Será observado por parte da professora a criatividade e o conhecimento alcançado, o senso crítico e a organização dos materiais pelos alunos durante as atividades propostas em sala de aula.

OBS.: As atividades desenvolvidas por turma deverão
ser entregues para a supervisão  no dia 21/04!!!

Projeto da Biblioteca


PROJETO PEDAGOGICO PARA BIBLIOTECA ESCOLAR


LER É PRECISO


PROJETO DESENVOLVIDO PELAS PROFESSORAS:
Margaret Kollet
Sonia de Moura Bueno

 “Não basta ter uma biblioteca para formação de uma comunidade leitora. É preciso, sobretudo, um plano de ação que se preocupe com as práticas de incentivo à leitura. Cada biblioteca cria formas de atingir esse objetivo”. E isso é só o começo...


TEMA: LER É PRECISO.

JUSTIFICATIVA: Hoje, internet, televisão e videogames competem com os livros. Diante desse desafio, entendemos que a biblioteca escolar, precisa oferecer algo além dos livros nas estantes. Seções de leitura, contação de histórias para crianças, teatro, oficinas, entre outros, são algumas das opções para tornar a biblioteca escolar um ambiente mais atrativo para os jovens leitores.
É preciso alimentar a imaginação de nossos alunos, compartilhar leituras com eles e oferecer-lhes experiências de fruição, para que descubram os encantos da literatura como uma forma de arte que possibilita conhecerem a si mesmos, ao mundo e aos que os cercam, para que se tornem pessoas mais sensíveis, mais críticas, mais criativas.

OBJETIVOS: Os objetivos deste projeto pretendem atingir os diferentes níveis de leitores do 1º ao 6º ano do ensino fundamental e a família.

ESPERA-SE:
         Desenvolver o pensamento letrado dos alunos, no sentido da apropriação cada vez maior e mais abrangente da linguagem oral e escrita;
         Aperfeiçoar a compreensão leitora e as possibilidades de estabelecimento de relações e construção de sentidos, bem como a fluência e a expressividade na leitura pelos alunos, bem como da família.
         Utilizar a leitura como fonte de prazer e informação, ampliando o repertório dos alunos com diferentes gêneros de textos, autores, ilustradores e recursos da linguagem escrita, construindo uma história de leitor.

DURAÇÃO: Março a Dezembro de 2014.



ESTRATÉGIAS:

         Articulação de projeto de incentivo a leitura na escola;
         Organização da biblioteca para atividades que serão desenvolvidas;
         Leitura de gêneros como: contos, causos, poemas, poesias, crônicas e outros;
         Roda de leitura; (leitura de fabulas e contos em grupo);
     
         Hora do conto, 1º a 3º anos;
         Empréstimo de livros, com abrangência aos familiares, (onde será enviado para casa, uma sacola com livros variados para que toda família possa ler.);

         Realização de soletrando, com as palavras das histórias lidas;
         Levar a biblioteca até a sala de aula;
         Palestras educativas realizadas pelo bibliotecário, (sobre cuidados e valores dos livros no nosso cotidiano);
     
         Jogos de leitura;
         Pesquisa;
         Meu primeiro livro;
         Ações educativas que despertem a criatividade dos alunos visando atividades com datas comemorativas;

AVALIAÇÃO: Será contínua, realizada através do monitoramento do professor que estabelecerá critérios que definirão os avanços e os resultados do projeto, os quais deverão ser divulgados aos alunos.


A Biblioteca só existe de fato, não em espaço estático, mas em movimento dinâmico se for uma parceira da escola a qual faz parte, envolvida e presente em suas atividades. Ela é uma extensão da sala de aula e deve ser um canal de fomentação da leitura trazendo resultados positivos e reais retornados para dentro da sala de aula bem como para a vida do aluno.





Capacitação para professores e Entrega dos Kits escolares para os alunos

Professores! A EDP realizará no dia 29 de março a Capacitação para professores sobre Alimentação Saudável -18h no auditório da prefeitura.

Alunos! O evento para a entrega dos Kits com material escolar vai ser dia 29 de abril no turno da manhã na escola. Toda comunidade está convidada à prestigiar este momento de integração!

Lei 3608/2014-Reunião do Conselho Escolar, CPM e Direção

No dia 24 de março realizamos uma reunião na escola com a presença da Direção, CPM e Conselho Escolar. Na oportunidade  foi criado o PLANO OPERACIONAL DA ESCOLA. Este Plano é o resultado da participação da comunidade no planejamento, execução e fiscalização, foco da Gestão Democrática.
Durante a reunião os presentes decidiram as prioridades de reparos e consertos necessários na escola, debateram a forma como será realizada a melhoria e a causa-raiz dos mesmos. 
O Plano Operacional é uma novidade, fruto da Lei 3608/2014 QUE NORMATIZA A DESCENTRALIZAÇÃO DOS RECURSOS FINANCEIROS ÀS UNIDADES ESCOLARES.

A participação dos colegiados demonstra que a Gestão Democrática é um exercício de Cidadania em Cidadania! Parabéns membros do CPM e Conselho Escolar! 



V Diálogos da EDP

Nos dias 18,19,20 e 21 de março a Diretora da Escola, professora Carine Motti participou do V Diálogos da EDP em Vitória-Espírito Santo. A Escola participa do Projeto EDP nas Escolas desde 2009 e este ano de 2014, se prepara para abordar o Tema: "Alimentação Saudável". Muitos assuntos importantes foram abordados no encontro o que enriquece as vivências e aprendizagens na Escola. na oportunidade as escolas e instituições presentes puderam trocar experiências e ampliar suas possibilidades na busca de uma educação eficaz e social. 



Programação:
Dia 18/Março - Terça-feira
Restaurante
19h30         - Abertura do V Diálogos EDP Solidária
            - Coquetel de Integração
           - Entrega de Certificados de Parceria
21h30         - Encerramento


Dia 19/março - Quarta-feira
Sala Atlântico
 8h30        - Abertura
              - Palestra: "Para entender a energia em 2014."
              - Conversa de Sofá: "A vida que queremos, nós que escolhemos - com vocês, a Juventude!"
12h30        - Almoço
14h         - Conversa de Sofá: "Câncer infantil, quando a prevenção é uma tarefa de todos."
              - Conversa de Sofá: "As nascentes, os rios, as florestas e o homem: uma história com final feliz?"
18h         - Encerramento


Dia 20/março - Quinta-feira
Sala Atlântico
 8h30        - Abertura
            - Conversa de Sofá: "Escola, ponte para o bem-estar da comunidade."
              - Formação: "Lean: como estruturar um projeto para aprimorar as atitudes e elevar a produtividade no seu dia a dia."
12h30         - Almoço
14h         - Formação: "Monitoramento, Subgrupos e Marca."
              - Formação: "Voluntariado e Rede EDP."
              - Entrega de faixas de divulgação
18h        - Encerramento



Certificado de Participação



sexta-feira, 14 de março de 2014

Experiência de Cozinha

Na manhã do dia 14 de março a professora Priscila iniciou uma experiência de cozinha com os alunos do primeiro ano. Os alunos fizeram a receita de cupcake. Os alunos adoraram manipular os alimentos e preparar este lanche especial.








Reunião Administrativa e Pedagógica



No dia 13 de março realizou-se na escola a reunião administrativa e pedagógica com a presença da direção, supervisão, professoras e funcionários. A reunião contou com a presença da psicóloga Dalva Maria Corrêa de Lima que apresentou seu trabalho, realizou uma dinâmica relacionada ao Trabalho em equipe e iniciou um trabalho sobre "O papel do professor como Agente Catalizador do Processo Grupal em sala de aula".
O trabalho iniciado terá uma sequencia e outros encontros serão marcados para que a psicóloga consiga ouvir, observar e enriquecer o trabalho dos professores. A família terá papel fundamental neste processo que se inicia. Parabéns Dalva pela Excelente oportunidade.