Loading...
Loading...

Total de visualizações de página

terça-feira, 6 de maio de 2014

Astronomia


Inspirados pelos mistérios do universo, organizamos uma Mostra de Trabalhos de Astronomia com os alunos do Sexto ano. O Projeto Astronomia trabalha o conteúdo de forma paralela ao currículo da disciplina de Ciências, e foi desenvolvido em parceria entre a Professora Luciana Rosa e o Monitor Diego Guimarães, aluno de licenciatura em Ciências pela FURG.
A mostra de Trabalhos contou com maquetes do Sistema solar elaborada com materiais diversificados, trabalhando a criatividade dos alunos. Também contou com a exibição de vídeos e documentários sobre o assunto despertando o interesse do todos. Os alunos das outras turmas prestigiaram os trabalhos, onde receberam explicações sobre o Sistema Solar.
O Projeto foi um sucesso e seguirá ao longo do ano com oficinas e pesquisas dinâmicas dentro da Astronomia.






Reflexão sobre o Vídeo : Pálido Ponto Azul de Carl Sagan 

A escolha deste vídeo nos faz pensar quanto as nossas ações cotidianas e as consequências que elas têm para o planeta. Quem somos nós ante a história do mundo? Quem somos nós ante o Universo? Milhares de estrelas e planetas pululando o cosmo sideral e a Terra é apenas um ponto de luz em meio a vastidão do espaço. Nossa história de vida está gravada no solo deste pequeno e rochoso planeta que por hora é o único conhecido com vida inteligente.
Vida, uma palavra pequena mas com uma amplidão quase tão grande quanto o próprio universo. Nossa vida foi sagrada nas guerras, matanças, sede de poder, barbáries em nome de religiões e ideologias. Onde o senso de sociedade digna? Onde o amor pelo nosso grande pequeno planeta.
“Na escala dos mundos Humanos são irrelevantes” diz Carl Sagan. Nós nos consideramos os soberanos do universo, mas desconhecemos o que realmente existe fora do nosso alcance. As cenas do vídeo em questão são claras. Todos os eventos históricos responsáveis pela modelagem de nosso planeta e modo de viver aconteceram aqui. Mas esta é a “nossa” história, este é o “nosso” mundo. Tudo o que sabemos está gravado neste ínfimo pedaço de pedra orbitando uma estrela infinitamente maior que nós. Mas nossa ambição não tem limites.
Líderes, Heróis, Mártires, Reis. Bandidos, Leigos, Servos, enfim...mortais, perecíveis ante o universo. A ninguém foi dado o direito de fazer com a natureza do planeta o que bem entendesse. Cada ato, cada palavra, cada passo dado provoca uma consequência, e não sabemos como enfrenta-las. Se o planeta é nosso, o dever de preservá-lo também. Ainda não conhecemos outro lugar para nos abrigar quando este em que vivemos vier a sucumbir. Ou seremos nós que sucumbiremos primeiro? Espécies surgiram e desapareceram nos aproximadamente 4 bilhões de anos de nosso planeta, e esta esfera azulada se manteve sempre forte no espaço. O que impede de que o mesmo aconteça conosco? Somos racionais, mas não somos inatacáveis.
            A Terra é nosso lar, o terceiro planeta de um sistema de oito planetas. O terceiro na escala de tamanhos deste sistema. E existem muitos outros Universo afora, quem garante que somos o único sinal de vida inteligente no Universo? A própria força criadora do universo, a própria energia que transforma a matéria, a gravidade que sustenta mundos ao redor de estrelas, por si só já não é um sinal de inteligência? Ledo engano o nosso ao nos concebermos como mestres do Universo.
         O Universo tem aproximadamente 13,5 bilhões de anos, se dividíssemos esse tempo em doze partes às proporções de um período de um ano, o surgimento de nossa raça teria acontecido nos últimos segundos desse tempo. Os últimos segundos de um ano: o momento de nossa criação. Nossa existência é o resultado de um processo evolutivo, onde nós os mais fortes nos sobrepusemos à outras espécies. E se outra espécie evoluísse a ponte de se sobrepor a nós? Nada sobraria a não ser o vestígio de mais uma espécie que faliu.
O Universo está em constante expansão à medida que evolui. Estrelas nascem e morrem formando outros mundos desconhecidos para nós. Enquanto nos preocupamos com nossas ambições mesquinhas, o Universo segue seu curso, a vida segue seu curso. Os elementos da terra foram forjados em estrelas distantes. Foram trazidos para cá por meio de corpos celestes que encontraram nosso mundo antes de nós. Nós somos a aglomeração destes elementos. Nós somos poeira das estrelas. O planeta em si é um grão de areia perdido nos ventos do universo. Uma gota no Oceano infinito dos mundos. O que estamos fazendo para cuidar deste pequeno mundo que treme diante de nossos atos impensados? A Terra é nossa casa, e uma casa pode cair se não tiver bases sólidas.
Cuidemos de nosso mundo, esforcemo-nos com discernimento para fazer jus ao título de animais racionais. Por mais que nossas ações pareçam supremas, por mais que nossa raça se considere soberana deste mundo, devemos ter em mente que vivemos apenas num Pálido Ponto Azul, sustentados por Um Raio de Sol.

Referências
SAGAN, Carl. Pálido Ponto Azul. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=4_tiv9v964k acessado em 05/05/2014,
                                                                             05 de maio de 2014,Diego Pereira de Guimarães



Mostra dos trabalhos



















































































Nenhum comentário:

Postar um comentário